Conta publicitária de Alagoas faz licitação de cartas marcadas (Parte 1)

29 05 2009

_

Pois bem, vamos começar com uma polêmica que até ontem eu desconhecia (Mário Martins me mandou alguns links) e que já deu muito o que falar, envolve várias agências, o Governo, o Secretário de Comunicação e mais um bocado de gente.

Vou postando as coisas na ordem cronológica dos acontecimentos e lendo calmamente pra entender tudo e ter algum ponto de vista formado no final.

O texto abaixo foi publicado pelo Jornal Extra Alagoas no dia 13 de Outubro de 2008.

_____

Secretaria de Comunicação rateia R$ 15 milhões do bolo publicitário entre agências aliadas ao governo de Vilela

Uma licitação envolvendo R$ 15 milhões de reais já está dando o que falar no mercado publicitário alagoano. As agências de publicidade da terra não se conformam de terem sido alijadas do processo licitatório, por julgamentos no mínimo tendenciosos. De acordo com o depoimento de um conceituado e premiadíssimo publicitário alagoano, a respeito da concorrência que houve para atender à conta publicitária da Secretaria de Comunicação do Governo de Alagoas, “ganharam a Paz, a Nova Agência, a Sotaque e Plano B”.

“Ganharam a Paz, que não é alagoana e atendeu ao então candidato Teo Vilela na sua campanha eleitoral ao cargo de governador, a Nova Agência, novinha, novinha, criada por um ex-funcionário do atual secretário de Comunicação do Estado, a Sotaque, de Brasília, e Plano B, que atende o PSDB em Recife”, detalhou o publicitário.

Para ele, “tudo bem, não dá pra ser tudo igual, mas coisas como ética, seriedade e profissionalismo deveriam ser características universais. Só para fazer um trocadilho, eu diria que independe da Bandeira que esteja hasteada, esses valores devem prevalecer. Mas o resultado da concorrência daí realmente estava escrito nas estrelas, quem sabe lá pras bandas da constelação de Antares”.

TRILHAS DA CONCORRÊNCIA – O publicitário detalhou vários lances estranhos da licitação da Secom, que levaram as quatro
agências à vitória:
“Era necessário que se apresentasse um caso de comunicação, que representaria parcela da pontuação na disputa. Enquanto algumas agências que levaram a sério a concorrência apresentaram casos que efetivamente deram resultados comprovados aos seus clientes, baseados em pesquisas prévias e aferição posterior à sua veiculação, a Nova Agência obteve pontuação estrondosa apresentando o caso de uma vaquejada em Delmiro Gouveia. Acho que nem a Prefeitura de Barretos iria se empolgar tanto com
esse caso. Chamaram os outros concorrentes de cavalgaduras”, disse.

E acrescentou: “Foi analisada também a infra-estrutura das agências concorrentes. Novamente a fenomenal Nova Agência quase que atinge a nota máxima, 15 pontos (ficou com 14). Fazendo jus ao nome, essa agência tem pouquíssimo tempo no mercado e apenas nove funcionários. Não tem área específica de atendimento e muito pouco espaço para acomodar seus poucos funcionários. Eles dividem uma pequena sala com apenas 36 metros quadrados. De acordo com o recurso que uma das agências derrotadas no
certame – a Artecetera – impetrou, eles chegaram a calcular que cada funcionário tem apenas quatro metros quadrados pra se virar lá dentro”.

Tanto a Artecetera como a Chama, conhecidas agências alagoanas por terem ampla e confortável infra-estrutura e reconhecida capacidade de atendimento, perderam feio para a nova e fenomenal agência, nesses quesitos.

Anúncios




Conta publicitária de Alagoas faz licitação de cartas marcadas (Parte 2)

29 05 2009

_

Verba publicitária é rateada entre amigos

A farra com o dinheiro do povo na Secretaria de Comunicação Social revela uma nova onda de corrupção no governo de Alagoas, onde a verba publicitária é distribuída entre os amigos do governador. Quem quiser ver os números da nova farra é só consultar o Portal da Transparência.

O jornal Extra, edição anterior (3 a 9 de outubro) revelou uma ponta do escândalo. A matéria intitulada “Queima de dinheiro: Téo Vilela torra R$ 6 milhões com propaganda enganosa”, traz a lista com a distribuição de verbas que beneficiam amigos e parentes de Téo Vilela.

O que o semanário não revelou, mas revela agora, são detalhes desses gastos escandalosos da Secom, cujo titular Wilmar Bandeira, é irmão do Josafah, braço direito do usineiro João Tenório, marido da Secretária da Fazenda, Fernanda Vilela. A irmã do governador liberou R$ 110.000,00 para a Sotaque Propaganda fazer produções jornalísticas e mais R$ 434.000,00 para a mesma firma fazer serviços de áudio e vídeo, mesmo sendo essa empresa uma agência de publicidade e não uma produtora de vídeo.

O mesmo Wilmar recebeu da Secom, através da agência dele, da qual ainda é sócio, a Antares, R$ 270.000.00. O dinheiro, pelo que se sabe, saiu em setembro, depois que seu nome já tinha sido anunciado e poucos dias antes dele tomar posse no cargo de secretário de comunicação.

Agora, Secom está publicando o resultado de licitação feita para quatro agências, sendo a Sotaque, a Nova Agência, que por coincidência pertence a um ex-diretor da Antares, a agência Plano B de Recife e a Paz Publicidade. Essa última pertence ao marqueteiro de Téo Vilela, um tal de Einhart Jácome, que por sinal recebeu no final de 2007 quase R$ 650.000,00 da Secretaria de Turismo.

Se você não acredita, faça uma pesquisa no Portal Ruth Cardoso. Vá até a aba despesas por credor e na página digite o CNPJ ou o nome da empresa.





Conta publicitária de Alagoas faz licitação de cartas marcadas (Parte 3)

29 05 2009

_

Resultado das pesquisas


Agência Sotaque Brasil Publicidade e Propaganda Ltda – CNPJ – 01599369000125 – durante o período de janeiro a dezembro de 2007 – Unidade gestora: Secretaria de Estado da Comunicação – despesa, comissões e corretagens – R$ 39.246,68; produções jornalísticas – R$ 110.909,50; Serviços de áudio, vídeo e foto – R$ 434.143,82; total – R$ 584.300,00.

Agência Paz Publicidade e Marketing Ltda – CNPJ – 05124105000176 – durante o período de janeiro a dezembro de 2007 – Unidade
gestora
: Secretaria de Estado do Turismo. Despesa – serviços de publicidade mercadológica – R$ 648.470,86 – total – R$ 648.470,86.

Agência Antares Publicidades Ltda – CNPJ – 12682977000204 – durante o período de janeiro a dezembro de 2007 – Unidade gestora: Secretaria de Estado das Relações do Trabalho, Emprego e Renda Despesa – serviços gráficos – R$ 3.402,61; total – R$ 3.402,61.

Unidade gestora: Secretaria de Estado da Comunicação – despesa – comissões e corretagens – R$ 19.500,00; serviços de áudio, vídeo e foto – R$ 239.350,00; total – R$ 258.850,00.

Unidade gestora: Secretaria de Estado da Cultura – despesa – produções jornalísticas – R$ 7.609,00; total – R$ 7.609,00.

Unidade gestora: Secretaria de Estado da Fazenda – despesa – serviços gráficos – R$ 3.274,27; total – R$ 3.274,27. Total geral da agência Antares – R$ 273.135,88.





Conta publicitária de Alagoas faz licitação de cartas marcadas (Parte 4)

29 05 2009

_

Secretário explica participação da Secom na propaganda oficial

O secretário de Comunicação do Estado, Vilmar Bandeira, esclareceu ontem, que o Portal da Transparência foi criado no sentido de ser um instrumento de interação com a população e ao combate à corrupção. Ele disse que com relação aos investimentos da Secom em publicidade e propaganda, o Portal da Transparência faz comparativos com anos anteriores à administração de Téo Vilela. Por exemplo, em 2005 a verba gasta com publicidade e propaganda foi de R$ 13.651.102,73. Já em 2006 o governo gastou R$ 11.063.359,32. Fazendo este paralelo, já no governo de Teotônio Vilela, os investimentos foram de R$ 7.150.917,20 e até o mês de outubro o gasto foi de R$ 6.190.500,42, portanto bem menos do que se gastou anteriormente.

O secretário explicou também, que apesar do aumento de valor de tabelas referenciais de mídia e de produção, foi diminuído drasticamente o investimento em publicidade e propaganda, “graças a negociações realistas e ao emprego de mídias técnicas para resultados”.

Para Vilmar, “em respeito à verba reduzida, apesar que o número de veículos de comunicação não diminuiu desde 2006. O planejamento de mídia segue critérios técnicos, não assistencialista”. Ele citou como exemplo a TV Pajuçara, que seguramente não é a primeira em faturamento, quando se analisa que outras empresas utilizam mais de um CNPJ em processos na Secom, como a própria TV Gazeta.

Segundo o secretário, esses esclarecimentos são necessários em face das interpretações que ocorreram nos últimos dias e garantiu que a Agência Alagoas vai inserir a partir de agora na sua página principal, além dos investimentos do ano de 2008, também os investimentos de 2007, 2006 e 2005, para que a população que não acessou o Portal da Transparência possa ficar ciente dos gastos em comunicação do governo do Estado.

Com essa decisão, disse Vilmar Bandeira, cuja comunicação sempre defendeu o Portal da Transparência, o projeto reconhece como um importante canal de comunicação com o cidadão, estimulando a fiscalização, as discussões e as sugestões relativas às despesas e aos gastos públicos.

_

Fonte: Jornal Extra

Anexo em .PDF: Jornal Extra





Coca-Cola Azul

29 05 2009

_

A embalagem da Coca-Cola não mudou de cor, ela ainda é vermelha. Mas lá na cidade Parintins, no estado do Amazonas, ela também é azul. Isto por causa da Festa do Boi Bumbá, um evento que divide a cidade em duas: quem torce para o Garantido (vermelho) e quem torce para o Caprichoso (azul). O Festival tem hoje proporções internacionais.

A coisa é tão séria que a torcida do Boi Caprichoso não comprava a Coca que, por ser vermelha, era associada ao rival. Curiosamente a concorrente Pepsi, por ser azul, era preferida por tais torcedores. A Coca, para não perder consumidores, adotou o azul em metade da produção das embalagens de refrigerante e também nas peças de promoção de vendas.

O lançamento das latas azuis mostra a possibilidade de regionalização de um produto com comunicação internacional, uma decisão única em mais de 100 anos da empresa. Mostra também o poder da cor na construção da identidade visual de embalagens, produtos, empresas e torcidas.

Fonte: indesignsp.blogspot.com





Adidas | Palmeiras: Segunda Pele

25 05 2009

_

A Adidas lançou uma ação online envolvendo o Palmeiras e seu novo uniforme. No vídeo abaixo, os jogadores da equipe alviverde, que também são ótimos atores (mentira), notam o sumiço de várias camisas. A missão do torcedor é descobrir quem é o responsável por isso, utilizando pistas do site minhasegundapele.com.br. No dia 4 de junho, a Adidas promete revelar o mistério, premiando os participantes.

adidaspalmeiras

Além de ser uma ação bacana, tem dois pontos que gostaria de notar aqui: Primeiro é que a Nike finalmente ganhou concorrência, em se tratando de iniciativas online envolvendo times de futebol. E a outra coisa é que, há algum tempo, cobramos campanhas aqui no Brasil que saibam aproveitar essa paixão pelo futebol, assim como os argentinos fazem (quinhentos e vinte e dez comerciais sobre o tema por ano).

Esse vídeo do Palmeiras faz isso, mostrando os discursos inflamados e jogadores tatuando o escudo do time no peito. Pena que a realidade é outra, mas isso é assunto para outra ocasião.

Fonte: Brainstorm9.com.br





Dafra, você por cima da …

25 05 2009

Como a gente volta e meia avisa por aqui, nem tudo são flores no mundo das mídias sociais. O Ideavertising trouxe pra gente mais um exemplo desse “efeito reverso” que a internet pode proporcionar.

Algum cliente insatisfeito não aguentou mais sofrer com a marca e desabafou fazendo uma criativa dublagem soltando o verbo contra a Dafra Motos. É um vídeo paródia em cima do grandioso comercial da campanha que traz Wagner Moura como garoto propaganda da marca. O linguajar utilizado pelo dublador não é lá dos mais adequados, mas como aqui não tem muita frescura segue o vídeo para avaliação:

Percebe-se que está cada vez menor o espaço para erros de uma marca com o consumidor. Com o fácil acesso não só à internet, mas também à ferramentas para simples edição de áudio e vídeo, cada vez fica mais fácil o consumidor criar seu próprio conteúdo para se expressar.

Aí acontece tudo do mesmo jeito: você olha, acha legal, fala para um amigo, manda pro seu twitter, pro orkut, republica em outros sites de vídeos, faz post no seu blog, manda por email e por aí vai.

A Dafra até tirou do ar o primeiro vídeo publicado, mas é praticamente impossível disputar com a velocidade e milhões de pessoas online.

A solução nesse caso? Antes de entrar com uma comunicação que prometa mais do que pode cumprir, pense que há milhares de pessoas prontas para viralizar sua marca. Para o bem e para o mal.

 

Fonte: Simviral.com